1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (2 Votos)

160610_institutocamoesZâmbia - Portal Galego da Língua - Em menos de umha semana, a República do Congo primeiro e a Zâmbia depois, anunciárom a incorporaçom do português como língua estrangeira no ensino. Carlos Reis, Reitor da Universidade Aberta de Lisboa, vê necessária umha nova estratégia com o Instituto Camões como centro.


Som vários os exemplos, de mui diversa origem, que dam conta de umha tendência que desvela a importáncia relativa do espaço lusófono a nível global. Umha delas é o ensino, onde grande parte dos casos estám exemplificando esta aposta pola língua portuguesa como activo no futuro.

O caso da Zâmbia enquadra-se num contexto de adopçom do português por parte de vários governos de África, onde por motivaçons históricas esta língua já está assentada, quer como língua oficial, quer de ensino opcional no ensino. "Incontornável" é a palavra que define o português em relaçom à sua presença no continente africano para Governador da Zâmbia.

Segundo o secretário português de estado para as Comunidades, António Braga, "Zâmbia vive um período de grande desenvolvimento" e a confirmaçom da introduçom do português no ensino é o princípio de oportunidades empresariais e culturais entre ambos países.

Ao abeiro do futuro medre qualitativo e quantitativo da presença do idioma luso em lugares tam diversos estám saindo vozes que falam da necessidade de articular políticas lingüísticas distintas. Para Carlos Reis, Reitor da Universidade Aberta de Lisboa, "fala-se muito dos mais de 200 milhons de falantes de português, mas para umha política de língua eficaz ainda há muito que fazer".

Em sua opiniom, "falta reconhecer que o tema da política da língua nom pode ser umha moda estacional para adornar cimeiras e falta entender que a dispersom de esforços é desastrosa em termos de bom aproveitamento dos recursos humanos e financeiros". Para isto crê necessário dotar de mais recursos humanos e financeiros o Instituto Camões com o intuito de o converter "numha grande instituiçom e articular umha política da língua da língua de modo que se poia ir além da gestom corrente do ensino de português no estrangeiro".


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.