1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)

010311_chuvas_luandaAngola - Jornal de Angola - A chuva que caiu, no domingo, em algumas zonas de Luanda inundou casas e ruas, partiu estradas e pontes e provocou engarrafamentos de trânsito. Os bairros Palanca, Golfe I e II, no município do Kilamba Kiaxi, e Morro Bento, Futungo e Benfica, na Samba, foram os mais afectados pela fúria das águas que arrastaram tudo o que encontraram pela frente.


A ponte que liga o Talatona ao Lar Patriota estava intransitável devido a vários imbondeiros que foram arrastados pela forte corrente de água, provocando grande congestionamento do trânsito.

 

A solução para os automobilistas, que pretendiam atingir a comuna do Benfica, era a avenida 21 de Janeiro, que registou grandes engarrafamentos devido ao deslizamento de terras e de pedras.

Com o trânsito praticamente parado, aos automobilistas não restou outra saída senão desistir da ida ao Benfica, onde pretendiam passar o final de semana na praia ou visitar familiares, como foi o caso do casal Mário e Marta da Costa, que ia com os filhos passar um final de tarde na casa de férias.

Durante a manhã de ontem, várias máquinas de empresas de construção civil sedeadas na zona removeram a área e as pedras que complicavam o tráfego rodoviário.

No bairro Futungo houve deslizamento de terras e inundações em várias casas. Eugénia Sampaio, moradora no bairro, viu parte do tecto da casa partido pela forte ventania acompanhada de trovoadas, mas sem lhe provocar muitos danos ao mobiliário.

"Tenho a parte do tecto partido, o que permitiu a entrada de água, mas não causou danos maiores. Tive, isso sim, o tanque de água inundado pela chuva, o que vai provocar muitos problemas porque ficámos sem água para beber", disse.

A solução, referiu, é gastar 14 mil kwanzas para comprar uma cisterna para voltar a encher o tanque.

"Neste momento, estamos a retirar toda a água da chuva que entrou para o tanque para depois voltar a enchê-lo, mas há alguns receios porque ainda existe o risco de chover mais", disse, frisando que viu parte da rua ruir devido ao deslizamento de terras.

No bairro Golfe II, várias casas que se encontram próximo da vala de drenagem, nas imediações do Interpak, foram completamente inundadas, com a água atingir quase a altura do tecto. Os moradores, temendo o pior, abandonaram as casas com todos os bens lá dentro.

Ontem, segunda-feira, a nossa reportagem passou pelo local e o sentimento era de desolação pelos danos provocados pelas chuvas.

Maria Teresa, moradora há cinco anos no bairro, viu todos os bens serem levados pela corrente da água.

"Perdi tudo que eu tinha", lamentou-se, enquanto procurava recuperar alguns dos bens.

João Pedro, morador no mesmo bairro há três anos, viu duas paredes da casa não resistirem à força da água, levando consigo alguns bens.

"O risco de mais chuva ainda existe e o meu medo é que tudo volte a acontecer", disse João Pedro, adiantando que para tentar evitar mais inundações na casa, já mandou os pedreiros fazerem novas paredes com betão para resistir à próxima enxurrada.

"Quando chove, a água chega a atingir 1,5 metro de altura, é uma desgraça, mas eu e a minha família não temos para onde ir", lamentou-se. "Os móveis foram todos embora. Não sei que prejuízo tive porque roupas e tudo o que eu tinha foram embora", relatou Madalena António, 38 anos, moradora a 20 metros da casa do João Pedro.

Apesar de tudo, reconheceu que as perdas podiam ter sido piores.

"Graças a Deus, a minha casa não caiu, há vizinhos que estão em situação pior porque as deles foram abaixo", disse.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.