1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)

dsc01097 0Portugal - Esquerda - As contas divulgadas esta segunda-feira pelo Banco de Portugal revelam que a dívida pública portuguesa aumentou para 231.1 mil milhões de euros em dezembro passado. Só o resgate ao Banif foi responsável por quase metade do aumento da dívida em 2015.


Apesar da propaganda dos "cofres cheios" e do reembolso antecipado dos empréstimos do FMI, o último ano de governo de Passos Coelho e Paulo Portas voltou a saldar-se pelo aumento da dívida pública, desta vez acumulando mais 5.300 milhões de euros do que em 2014.
 
A nota estatística divulgada pelo Banco de Portugal não faz o cálculo da dívida em percentagem do PIB, mas apresenta os números da dívida pública portuguesa na ótica de Maastricht, ou seja, o critério que conta para Bruxelas.

Segundo a nota citada pela agência Lusa, "a operação de resolução do Banif teve impacto no valor de dezembro de 2015 da dívida pública, através da inclusão dos títulos de dívida emitidos pela Oitante (0,7 mil milhões de euros)”. A Oitante é a sociedade-veículo criada para gerir os ativos tóxicos do antigo banco vendido ao Santander.

“As transferências de capital efetuadas pelo Estado e pelo Fundo de Resolução para o Banif implicaram um aumento de 2.300 milhões de euros na dívida líquida de depósitos, por via da redução de depósitos”, prossegue a nota do Banco de Portugal, que calcula o montante total da dívida excluindo os depósitos da administração pública em 217,7 mil milhões de euros no final de dezembro.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.