1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)

061114 mMoçambique - A Voz da Rússia - A Comissão Nacional de Eleições (CNE) de Moçambique recusou o pedido da Resistência Nacional de Moçambique (Renamo), principal partido de oposição no país, de anular as eleições gerais de 15 de outubro, julgando-o "improcedente".


Segundo o porta-voz da CNE, Paulo Cuinica, a reclamação da Renamo apresentou várias irregularidades, inclusive a de apelar ao Conselho Constitucional (CC) em vez da CNE.

Não somente o pedido da Renamo foi rejeitado. Também a reclamação do Partido Unido de Moçambique da Liberdade Democrática (PUMILD), que não tem assentos na Assembleia Nacional (parlamento), de anulação dos resultados das eleições no sul do país, foi recusada.

A Frente Nacional de Moçambique (Frelimo), partido no poder desde a independência, em 1975, venceu as eleições, com 55,97% no parlamento. O seu candidato à presidência, Filipe Nyusi, antigo ministro da Defesa, ganhou as presidenciais com 57,03%. A Renamo obteve 32,49% dos votos nas legislativas, e o seu candidato presidencial e presidente do partido, Afonso Dhlakama, foi o segundo colocado nas presidenciais com 36,61%.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.