1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (1 Votos)
António Santos

Clica na imagem para ver o perfil e outros textos do autor ou autora

O Fantasma de João Mau-Tempo

Dez candidatos e uma certeza

António Santos - Publicado: Sábado, 23 Janeiro 2016 12:15

Se as eleições de domingo são recordistas em número de candidatos, o fenómeno não se deverá à multiplicação das ideias mas à clonagem das caras.


Repare: sabe quais são as diferenças políticas entre, por exemplo, Henrique Neto e Cândido Ferreira? Não se trata apenas de serem ambos milionários chateados com o PS que deixaram de gostar dos «partidos». Até ao debate a nove, nunca tinham sido vistos no mesmo espaço físico e havia quem defendesse que eram a mesma pessoa.

Não estamos a brincar. O que distingue o Vitorino Silva de Jorge Sequeira? Não, sem ser no estilo e na pose e tirando o verve e o viço. Mais canhestros ou menos endinheirados, ambos são vaidosos inveterados que se pautam pelo vazio de causas. Só há duas explicações para que Tino e Sequeira, simétricos nas mesas dos debates e espelhados nas posições, se completem tão bem: ou foram criados por Manuel Monteiro na mesma gruta ou são a secreção eleitoral do cruzamento dos Hunger Games com o Correio da Manhã.

E Marcelo Rebelo de Sousa, «à esquerda da direita», o que o distingue de Maria de Belém, «à direita da esquerda»? Tratar-se-á de imitação ou osmose? São já tantas as décadas de alternância na alfurja do capital que os currículos de Marcelo e Belém se confundem nos corredores BES, nos encargos das privatizações desastrosas e no corte de direitos de quem trabalha. Sabe o leitor, por ventura, o que disseram Marcelo e Maria de Belém sobre assuntos como a privatização da Galp, a criação dos recibos verdes e das taxas moderadoras na saúde, a destruição da reforma agrária, ou a introdução de propinas no ensino superior? Uma pista: disseram a mesma coisa.

Outros candidatos são distinguíveis entre si, não se distinguindo das suas incoerências: a orgulhosa «independência» de Nóvoa confunde-se com a sua tentativa de arregimentar o PS; a credibilidade de Marisa Matias turva-se na mentirola sobre a resolução que abriu portas à guerra na Líbia e que, afinal, votou mesmo favoravelmente; a insistência de Nóvoa em afirmar uma candidatura que «não é de esquerda nem de direita» baralha a sua luta contra o candidato da direita; a causa de Marisa Matias contra a precariedade contrasta com a prática do Bloco de Esquerda, que acaba de apresentar uma deliciosa receita para perpetuar o trabalho temporário; as críticas de Nóvoa à austeridade contradizem os deputados do PS empenhados na sua campanha e que subscreveram toda a austeridade de Sócrates e ainda, claro, as subvenções vitalícias.

Paulo de Morais, finalmente, à «esquerda da direita do centro» não tem comparação com nada. Em populismo abaixo do Sequeira e do Tino, Paulo de Morais, qual pónei circense, só sabe falar de duas coisas, a saber: o IMI e as editoras dos livros escolares. É tudo. Já sobre a sua militância de 35 anos no PSD, ou a sua participação na ruinosa gestão da cidade do Porto, onde foi responsável pelo despejo de centenas de famílias, nem uma palavra.

A excepção a esta triste regra tem um nome: Edgar Silva. Assumindo a defesa incondicional dos valores de Abril, dos direitos dos trabalhadores e da Constituição, Edgar Silva é o candidato que dá mais certezas a quem luta por uma vida melhor. Sem uma única nódoa no seu percurso de vida e com uma trajectória política indefectivelmente comprometida com a justiça social e com a liberdade, Edgar Silva é o meu Presidente.

Fonte: Manifesto74.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.