1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (1 Votos)

090112_zembezeMoçambique - Jornal de Notícias - A barragem de Nampula, que abastece a capital provincial de água, está a registar paulatinamente um aumento dos níveis depois de um período de crise que ditou as restrições de fornecimento ainda em vigor.

Entretanto, devido a chuvas que estão a cair na região centro, particularmente nos rios Zambeze e Licungo, estes cursos de água atingiram já o alerta, situação que deverá prevalecer nos próximos dias.


O Departamento de Gestão dos Recursos Hídricos, na Direcção Nacional de Águas, deu conta que as bacias hidrográficas de Monapo, que abastecem a Barragem de Nampula, Sanhute e Meluli continuam a registar níveis hidrométricos com tendência de subir como resultado do escoamento proveniente da montante e da precipitação registada localmente.

Considerando-se a precipitação que está a ocorrer, espera-se que a Barragem de Nampula alcance a estabilidade dentro em breve. A falta de chuvas no período de Outubro a Dezembro do ano passado, primeiros meses do calendário chuvoso ditou a redução drástica dos níveis da albufeira que é abastecida pelo rio Monapo.

Jonas Zucule, do Instituto Nacional de Meteorologia, quando questionado sobre a previsão sazonal, indicou que no período de Janeiro a Março, as províncias de Cabo Delgado, Nampula e Niassa contam com a probabilidade de ocorrência de chuvas normais com tendência para acima do normal.

Com efeito, segundo dados da DNA, que está a monitorar os efeitos das chuvas sobre os rios, no início desta semana, incluindo ontem, houve registo de chuvas na rede nacional de observação hidroclimatológica nas províncias do centro e norte.

Dados de domingo dão conta que na bacia hidrográfica do Zambeze, em Caia, a precipitação foi de 52 milímetros e em Mutarara 23,9 milímetros. Em Monapo, onde estão concentradas as atenções devido ao abastecimento de água para a cidade de Nampula, houve chuva em Meconta com 25,2 milímetros e na Barragem de Nampula com 19.

Também houve chuva nas cidades/vilas de Lichinga com 61,7 milímetros, Cuamba com 26,6, Angoche com 27,9 e Quelimane com 14,2.

Assim, na região centro, a bacia hidrográfica do rio Licungo continua com o nível hidrométrico acima de alerta na estação de Gúruè. Por seu turno, o Zambeze atingiu o alerta às seis horas de domingo na estação de Marromeu devido à contribuição do escoamento proveniente a montante.

A DNA prevê que até hoje as bacias hidrográficas do Monapo, Meluli e Sanhute continuem a registar tendência de subida dos níveis face à persistência da ocorrência de chuvas fracas e dispersas ao longo das bacias. O Zambeze e Licungo poderão manter-se acima de alerta devido às chuvas locais e a contribuição a montante.

Face ao cenário prevalecente, a DNA recomenda a população das zonas ribeirinhas e a sociedade em geral para tomada de medidas de precaução ao atravessar o leito dos rios com particular destaque para as bacias do Licungo e Zambeze.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.