1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)

210911_alunadoMoçambique - O País - A preferência pelo ensino bilingue shona/inglês é a principal justificação apresentada pelos pais.


As autoridades da educação ao nível da província de Manica deparam-se com um dilema: as crianças moçambicanas no posto administrativo de Dacata, distrito de Mossurize, em Manica, abandonam o ensino nacional e matriculam-se em escolas zimbabweanas. Só este ano, mais de 2 500 crianças das cerca de 3 500 matriculadas, em Dacata, decidiram deixar o ensino moçambicana e aderir ao ensino zimbabweano.

Os dados mostram que mais da metade das crianças matriculadas entre 1ª e 7ª classes preferem atravessar a fronteira, todos os dias, para frequentar o ensino zimbabweano. A preferência pelo ensino bilingue shona/inglês é a principal justificação apresentada pelos pais. Os mesmos alegam que tal é favorável ao futuro dos filhos.

No total, foram matriculadas, este ano, cerca de 3 500 crianças em seis escolas. Deste número, 2 500 abandonaram o ensino moçambicano e foram inscrever-se no ensino zimbabweano, tendo 1 789 desistido definitivamente, o que deixa as escolas locais às moscas.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.