1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (1 Votos)

odebrechtAngola - Diário Liberdade - Por exigirem melhores condições de trabalho, 16 trabalhadores da Odebrecht Angola (subsidiária do conglomerado industrial brasileiro Odebrecht) em Cambambe, província de Kwanza Norte, foram demitidos sem qualquer explicação convincente.


Em dezembro, o carpinteiro Mário Augusto Domingos reclamou da forma de avaliação e o direito às férias que a empresa nega aos trabalhadores e a empresa lhe respondeu com uma demissão coletiva, sem qualquer aviso por parte do RH. "Fomos demitidos apenas por exigirmos nossos direitos", disse à agência VOA na ocasião.

Os trabalhadores demitidos da Odebrecht ficaram com um grande sentimento de injustiça, como declara Noteco Francisco, ex-catalogador da empresa e que também foi demitido: "uma vez que nós reclamamos os nossos direitos, fomos surpreendidos com a demissão coletiva".

De acordo com Domingos, após as demissões a empresa contratou nove novos empregados, o que significa que não é um corte de gastos, como haviam dito a ele.

A Odebrecht não quis se pronunciar sobre o assunto à imprensa angolana.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.