1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)

120216 eqEquador - A Verdade - Neste último dia 04 de fevereiro, em Quito, capital do Equador, mulheres ativistas sociais e dos direitos humanos foram brutalmente agredidas pela guarda pessoal do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que realizava visita oficial ao País.


Cristina Cachaguay, Carla Calapaqui, a médica Pilar Rassa (que foi hospitalizada), entre outras, denunciaram que a guarda de Erdogan tentou deliberadamente golpeá-las nos rostos, partes íntimas e seios.

Esta ação criminal, violadora de direitos humanos e da soberania do país se produziu quando as ativistas sociais gritaram “Fora Erdogan! Fora!”. Enquanto este entrava no Instituto de Altos Estudos Nacionais (IAEN).

Dias antes, quando a visita do presidente Erdogan se tornou pública, o rechaço a sua presença no Equador ficou claro nas redes sociais, com várias alusões de sua cumplicidade com o grupo terrorista Estado Islâmico no genocídio do povo curdo, pela brutal repressão aos trabalhadores, estudantes e professores que se opõe a sua política. Erdogan é comparado com o presidente equatoriano Rafael Correa por sua arrogância e demagogia, por suas políticas de criminalização da luta social.

Da Redação


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.