1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)

260216 banPortugal - ACP-PI - O plano de reestruturação que o Novo Banco apresentou e que o Banco de Portugal aprovou prevê um despedimento coletivo de 500 trabalhadores da instituição e a saída de mais 500 através de outras formas.


 No ano passado já saíram 411 pessoas.

O BES tinha 7311 trabalhadores, mas a sua queda provocada pela gestão da família Espírito Santo, fez com que os postos de trabalho do banco fossem postos em causa.

É preciso lembrar que o Estado deu garantias de 3500 milhões de euros, metade do stock de dívida total que o Estado tem empatados nos bancos portugueses. Ou seja, quem pagou a salvação do Novo Banco foi o Estado, que agora não tem capacidade de decidir de outra forma. Relembramos ainda que o objetivo anterior governo e do governador do Banco de Portugal era vender o Novo Banco o mais rapidamente possível e Carlos Costa chegou mesmo a ir buscar Sérgio Monteiro, ex-secretário de estado com a pasta das privatizações.

É muito importante que este plano de reestruturação não vá para a frente e que o Estado, já que pagou o buraco do banco, possa ficar com a instituição.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.