O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar
Publicidade
Publicidade
first
  
last
 
 
start
stop
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)
Arquivado em: Porrinho  liberdades  repressom  censura  

020412 porrinhoGaliza - NÓS-UP - A Assembleia Comarcal da Lourinha de NÓS-Unidade Popular acaba de apresentar umha moçom plenária, para denunciar a "Ordenança Municipal" que proíbe a colocaçom de cartazes, faixas e autocolantes propagandísticos ou reivindicativos em todo o município.


Atarefado na sua cruzada pessoal contra os que considera "separatistas radicais" anda o senhor regedor da Cámara do Porrinho, Nelson Santos. Desta volta, ébrio de poder maquinou umha estratégia para a perseguiçom e repressom dos/as ativistas sociais, e militantes do movimento popular que exercem o seu direito democrático à liberdade de expressom.

Apoiado numha auto-elaborada normativa, própria dum sistema autoritário, pretende legitimar a liquidaçom do direito que tenhem as organizaçons políticas e sociais para transmitir o seu projeto e alternativas à sociedade, e em especial à classe trabalhadora, mulheres e juventude.

Aliás, o governo do PP pretende que vivamos alhei@s à realidade, impedindo o acesso da vizinhança à livre informaçom, comunicaçom, cultura e conhecimento. Fomenta a ignoráncia, o individualismo e a paralise da comarca perante as agressons do sistema.

Acatando as diretrizes de Madrid que exigem um maior endurecimento das penas por desobediência civil, disfarça a sua paranoia pessoal de luita contra um falso "gamberrismo" que só existe na sua mente.

Mas o trabalho político e o compromisso incondicional da Assembleia Comarcal de NÓS-UP com a classe trabalhadora, assim como o dos movimentos sociais, traspassa a capacidade de entendimento de quem só está na política por pura voracidade e rapina económica.

Consideramos que as medidas aplicadas, consistentes em penas económicas desorbitadas, longe de solucionar o conflito agravam ainda mais a situaçom.

Temos alternativas para evitar o desluzimento das zonas comuns, todas/os queremos umha vila limpa, mas há que aplicá-lasdesde o respeito, a tolerância e a responsabilidade cívica, nom desde interesses políticos oportunistas e particulares.

A liberdade de expressom é um direito democrático que o concelho supostamente deveria proteger, mesmo o de quem nom coincida com a cor política de quem ocupe o cadeira da regedoria.

Fica nas maos do senhor Santos a decisom de adotar as medidas necessárias para rematar com este conflito.

Perante a permanente vulneraçom do direito à livre expressom por parte do Concelho, a Assembleia Comarcal da Lourinha de NÓS-UP exige:

1º- Derogaçom dos artigos da "Ordenança" que atentam contra a liberdade de expressom.

2º- Cesse dos labores repressivos e de controlo social exercidos pola polícia local.

3º- Instalaçom de painéis destinados à colagem de cartazes em zonas de tránsito público, permitindo assim que a livre expressom das alternativas políticas e sociais se combine com a defesa do nosso património.

4º- Retirada de todas as denúncias em curso contra ativistas sociais e militantes do movimento popular por exercer a liberdade de expressom.

5º- Disoluçom do "conselho de segurança cidadá" por ser o órgao de planificaçom da repressom policial sobre a populaçom, e particularmente contra a esquerda independentista.

6º- Fomento do associacionismo e da participaçom social permanente, destinando fundos do orçamento anual às organizaçons populares, para que podam transmitir o seu projeto e alternativas à sociedade mediante ediçom de vozeiros, jornais e outros meios audiovisuais.

7º- Criaçom de umha Televisom Pública, e restruturaçom da Rádio Municipal para a livre expressom da vizinhança, cuja programaçom inclua espaços próprios das organizaçons que assim o solicitem.

NÓS-UP continuará denunciando os cortes nas liberdades individuais e coletivas da vizinhança do Porrinho.

Por umha vila livre de inquisidores!

Repressom nunca mais!


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Este conteúdo foi bloqueado. Você não pode postar qualquer comentário.

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: diarioliberdade [arroba] gmail.com

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.